quinta-feira, 29 de abril de 2010

limites

Sei que agora eu deveria estar lendo um texto qualquer sobre qualquer assunto teórico. E depois dele, tudo começaria a fazer sentido. Porque a teoria se encaixa de tal forma que... nem sei como explicar. Tanta perfeição limitada em si mesma. E dali não sai. 

Eu deveria agora interromper esses escritos sem destino certo, para me dedicar às certezas em que alguém gostaria muito que eu acreditasse. 

Mas eu teimo comigo o tempo todo. E prefiro ficar aqui, sem entender nada, mais uma vez. À espera de que eu abra a janela pela manhã e o mundo faça sentido por si só. À espera do dia em que a felicidade seja medida pelo que sinto, e não pelo que dizem que ainda me falta.

E eu espero escrevendo, que é quando teorizo contra mim mesma. 

Sem limites.

Um comentário:

  1. Eu também teimo comigo mesmo o tempo todo, e espero o sentindo por si só...
    Saudade...
    Natália

    ResponderExcluir