quinta-feira, 20 de outubro de 2011

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

sem querer

às vezes, estar longe é estar perto. às vezes, é o silêncio que aconselha. tantas vezes ir embora é estar - e estar é despedir-se.
às vezes, me arrependo por ficar. quase sempre, por partir. às vezes choro porque amo. quase sempre, porque não sei amar.

às vezes, faz frio. mas nem sempre há quem possa me cobrir. então me despeço, vou pra longe:
onde sou, estou e fico.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

paisagem

mil janelas me vigiam
sem me ver
olhar pra fora é sentir
excesso
e falta

daqui de cima
enxergo o escuro
ouço silêncios

daqui do alto
vejo o mundo
inteiro
(e) só