terça-feira, 27 de agosto de 2013

travessia

chega o momento em que planejo mais que vivo
que me iludo e me arrisco
a ter certezas que não sei

chega a hora de ir embora de mim mesmo
de encontrar outro eu (mesmo?)
de brincar de ser ninguém

experimental

(porque o mundo parece tão reto
         para equilibrar o caos da minha poesia)

domingo, 18 de agosto de 2013

pôr do sol

(em branco)
meu coração busca a pena
e permanece em branco
só o tempo vai colando
vai calando tudo
desbotando a dor
redesenhando o nada
só o tempo espera
só o tempo encerra
e pinta a cor da vida
mais alaranjada