terça-feira, 7 de julho de 2015

andarilho

eu ando na rua
e é como se cavasse
u              o
  m         c
     b     a
       u r

cada passo
me en-
         -go-
              -le
eu e a terra

cada passo é d i  s   t    â     n      c       i        a

do horizonte
abismo
espera

escrevo

que é quando enterro
tudo isso
numa eterna
f            c            ã
      i            ç            o