quarta-feira, 8 de julho de 2015

geometria

um abraço pode ser todas as pontas
que se unem
numa casa cheinha de móveis
dourados pelo sol da tarde
que encontra no vão a passagem exata
e os embrulha
mas pode ser também dois braços
que pendem
tentando agarrar o sopro
tocar o sorriso que já não sente
nem cabe na sala de estar vazia
e escura