segunda-feira, 3 de agosto de 2015

viaduto

me finjo de morta enquanto vivo
porque talvez seja mais digno
que atravessar essa
ponte
estreita
sem medo ou coragem de olhar
pros lados

Nenhum comentário:

Postar um comentário